Segunda-feira, 10 de Janeiro de 2011
Foral de Vilarinho da Furna
Verifico que há, por aí, vários "sites", a referir o foral de Vilarinho da Furna de 1218, associando-o com D. Sancho I.
Ora, este rei, nascido em 1154, reinou de 1185 a 1211, ano da sua morte. Portanto, se o foral for de 1218, não poderá ser dado por ele.
Em 1218 reinava, em Portugal, D. Afonso II, que faleceu em 1223.
Segundo refere Domingos M. da Silva "... entre 1216 e 1217, D. Afonso II deu-se ao cuidado de percorrer as terras do norte do reino, com o fim de examinar títulos de propriedade, pouco disposto a considerar justas todas as concessões de seu pai e avós, ficando sòmente válidas as que ele quisesse confirmar - Confirmações gerais" (Domingos M. da Silva, Entre Homem e Cávado - I - Amares e  Terras de Bouro, Amares, 1958, p. 35). Nestas circunstâncias, não parece viável que o rei tenha concedido um foral a Vilarinho da Furna.
Mas esse mesmo rei concedeu, sim, em 6/12/1218, um foral a Vilarinho de Castanheira, em Carrazeda de Ansiães, Bragança. Daí, talvez, a confusão.
No entanto, A. Lopes de Oliveira escreve "Vilarinho [da Furna] teve foral em 1218. A aldeia já existia no tempo de D. Sancho II e reza a tradição que a imagem de S. Miguel voltou, festivamente da Portela do Homem, vinda da Galiza para onde fora roubada" (A. Lopes de Oliveira, Terras de Bouro, Câmara Municipal de Terras de Bouro, s/d, pp. 32-33).
Mas parece haver aqui alguma confusão, nomeadamente no que se refere à imagem de S. Miguel, pois, como eu próprio escrevi, baseado em Pinho Leal, "Consta que, havendo uma interdição no Reino de Portugal, pelo ano de 1267, no reinado de D. Afonso III, os moradores de Vilarinho da Furna terão construído uma capela dedicada  a S. Miguel, em território galego, para assistir à Missa. Findo o interdito, a Capela terá sido reconstruída no local onde ainda hoje existem algumas das suas ruínas. Mas, ficando num local ermo e distante da povoação, acabou por também ser demolida. A imagem do Arcanjo terá sido, então, levada para a Capela de Nossa Senhora das Mercês, em Vilarinho" (Manuel de Azevedo Antunes, Vilarinho da Furna - Memórias do passado e do futuro, 2.ª Ed., CEPAD/ULHT, Lisboa, Outubro de 2005, p. 142).
Também o foral atribuído por D. Manuel  I, em 20/10/1514, a Terras de Bouro, não menciona Vilarinho da Furna, por não ser freguesia.
O único foral que se conhece, de forma segura, de Vilarinho da Furna, é o que consta da "Escritura de emprasamento em fateosim perpetuo que faz a câmara municipal de Terras de Bouro, aos moradores visinhos do lugar de Villarinho da Furna, freguesia de S. João do Campo, deste concelho, com o foro de reis === 2.5040=", de 17/08/1895, por mim publicado na obra citada, pp. 175-182.
Até agora, a referência escrita  mais antiga que se conhece, sobre Vilarinho da Furna, penso ser a de 1540, no "Tombo da Igreja de São João do Campo".
Isto, independentemente da sua mais que provável origem romana, dos anos 70 da nossa era.
Manuel Antunes


publicado por MA às 11:35
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Foral de Vilarinho da Fur...

arquivos

Agosto 2017

Julho 2014

Março 2014

Agosto 2013

Fevereiro 2013

Dezembro 2012

Agosto 2012

Maio 2012

Outubro 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Agosto 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

tags

todas as tags

favoritos

Rio Homem - II

A Gente de VILARINHO DA F...

Centenário de Miguel Torg...

links
blogs SAPO
subscrever feeds